segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Oh happy day.

Na sexta-feira à noite, estive pela primeira vez numa festa de aniversário francesa. Foi óptimo: conheci pessoas espectaculares, tive direito a bolo de chocolate feito pela aniversariante (já internacionalmente conhecido!) e ofereci um ananás porque não encontrei flores. Hmm. Pois. É nisto que dá quando eu e a Linda descobrimos que afinal a festa é nesse dia, e não no sábado, que as lojas já estão fechadas e que é preciso recorrer à imaginação, rapidamente. Correu bem... a Nathalie riu-se imenso com a nossa solução! E pronto. Estreei-me nas festas caseiras parisienses... e gostei.

O jantar semanal com o meu grupo preferido de erasmus começa a ser um uso (pois, ainda não há convicção de obrigatoriedade, ihih). Ontem recebi chez moi a Linda, a Justina, o Pascal, a Ona e o Roland. Só para terem uma pequena ideia do que se passou, vou descrever a ementa: começámos por uma sopa finlandesa chamada "sopa dos apaixonados" (isto porque era assim para o cor-de-rosa, levava beterraba, mel e roquefort e mais uma data de coisas que eu nunca poria numa sopa), esparguete à bolonhesa cozinhado pelas lituanas (picante!) acompanhado por duas saladas (uma de tomate com chèvre e outra de milho, kiwi e maçã) seguido de arroz doce (tão bem sucedido que duas tigelas foram para casa de duas meninas embrulhadas em papel de alumínio... como eu adoro o efeito da doçaria portuguesa nos estrangeiros!).

Depois do jantar, ainda bebemos um copinho de vinho do Porto e petiscámos línguas de gato: a partida perfeita para a nossa estreia na Flèche d'Or, que de facto merece a fama que tem! Claro que uma noite tão bem passada só podia ser o prenúncio de um domingo ainda melhor... :] De manhã, acompanhei a Linda a uma lavandaria (daquelas que aparecem nos filmes, com máquinas enormes e pessoas esquisitas a dobrar camisolas), onde conheci dois americanos que estavam a percorrer a Europa de improviso, apenas com uma mochila e muita inspiração. Foi bastante interessante falar com eles... ao lado deste tipo de férias, erasmus não parece minimamente aventureiro! À tarde, ficámos num café do 5ème arrondissement, daqueles que cheiram mesmo a Paris (não Paris turístico, mas Paris da minha imaginação), e comemos uma tarte tatin deliciosa. Senti mesmo que estava com uma boa amiga, a ter uma conversa normal (e que falta me fazia...) num sítio aconchegado e genuinamente parisiense. Não há como descrever a sensação. C'est trop bon.

Quando pensava que o meu domingo não podia melhorar mais, convidaram-me para ir à Maison Européenne de la Photographie (cuja existência eu ignorava totalmente) e, obviamente, não pude deixar de ir. Fiquei surpreendida com a qualidade do espaço e das fotografias, bem como com a quantidade de coisas boas que se podem retirar de lá: as exposições são apenas uma parte; há uma biblioteca, uma videoteca, um café muito agradável e não muito caro (cujas mesas são fotografias olho-de-peixe!), conferências, lançamentos de livros, etc. Definitivamente, vou fazer o passe anual... :]

Para terminar o dia em beleza, um gesto muito querido da Ana, da Rita e da Marie: estavam alegremente a fazer crepes e resolveram oferecer-me um! Com Nutella, bien sûr!, que é o melhor que há! :D O momento ficou registado:


E pronto, vou dormir com esta sensação de alegria enorme. É tão bom quando começamos a viver esta cidade com mais calma e sabedoria... (talvez não nossa, mas das pessoas boas que vamos encontrando pelo caminho.)



Curiosidades do dia:
- sabem aquelas compotazinhas e manteigas que costumam servir nos restaurantes com o pão? aqui há dessas embalagens pequeninas de nutella! que vício... :]
- supostamente, o queijo roquefort foi descoberto por um homem que prestava mais atenção às mulheres que ao seu trabalho e que, por causa desse pequeno desvio de interesses, se esqueceu de queijo de ovelha e pão numa gruta durante alguns meses. et voilà, aquilo estragou-se e ele resolveu provar à mesma. que história tão má para um queijo que não precisa de mais do que o seu mero cheiro para me fazer torcer o nariz. (e, no entanto, depois de me ensinarem a comer aquilo com manteiga - que bomba calórica! - até já o acho tolerável...)
- a maior tarte tatin do mundo foi feita por um pasteleiro de Lamotte-Beuvron (a sul do Loire, na região centro de França) e tinha 2,50m de diâmetro! sim, é uma informação absolutamente inútil. mas, quand même!, 2,50m de diâmetro para uma tarte tatin é muito...

7 comentários:

Ska disse...

Mas sabes que nada se compara ao sabor da nutella roubada... de preferência perto do pompidou ;)

lua de inverno disse...

vocês são loucos :P *

mapha lá fora disse...

q bom q te estás a divertir! e só vai melhorar a cada dia.
já recebi o teu postal e foi direitinho para o meu placard.
beijos cheios de saudades!
(anda visitar-me!! =P)

Kahkba disse...

Paris é, no fim de contas, um atentado calórico.. e nós somos os loucos qe o escolhemos ;p

* *

Era uma vez ... disse...

haaaaaa...fico TÃO feliz por ti!!!é bom ter dias destes assim TÃO happys.lol. ajuda a passar o tempo bem depressinha para nos voltarmos a ver logo logo....beijocas GRANDES. gmdt*****

Perséfone disse...

o meu professor ja me falou dessa maison, viajar é mesmo magnifico, fico mesmo contente que te estejas a divertir tanto pequenina! a vida nao vai voltar a ser a mesma :P

BISOUS!***

Elsa Parreira disse...

nham nham crepes...tenho saudades dos teus! :P