sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Melancolia.


e ao anoitecer adquires nome de ilha ou de vulcão
deixas viver sobre a pele uma criança de lume
e na fria lava da noite ensinas ao corpo
a paciência o amor o abandono das palavras
o silêncio
e a difícil arte da melancolia

Al Berto


[tenho saudades dos meus livros de poesia.]

4 comentários:

Marta da Cunha e Castro disse...

Diz-me quais é que queres que eu compro e mando te pelo correio!! =)Quero que todo o teu mundo seja cheio de poesia!!

Perséfone disse...

é altura de descobrires a poesia em francês :*

lua de inverno disse...

martinha: agradeço a tua oferta (és tão querida ^^) mas tenho sempre o problema do transporte das coisas. ainda que me mandes livros, o que me poupa da dificuldade de os trazer em malas a abarrotar, terei sempre problemas em levá-los de volta para portugal. e abandonar poesia é impensável! :] mas obrigada pelo gesto... bisous!*

perséfone: ainda tenho medo de não entender suficientemente bem... (e para quando uma cartinha tua? anda a apetecer-me...) bisous!*

Ed J. disse...

Ah giro. O Al Berto era da minha terra, onde a melancolia é mesmo a sério... E eu dou-lhe a mão tanta vez...
Por vezes convivo com ela como se fôssemos amantes à espera da tragédia...

Apesar de tudo estou de volta ao mundo dos vivos.

Gostei do post. :D

Beijinhos Grandes.

:*