sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

1º último dia em Paris (Natal!)

Hoje pude, finalmente, visitar as Galerias Lafayette e as suas tão famosas montras animadas... eram tão giras que não resisti e filmei-as para vos mostrar! Claro que a qualidade não é a melhor, mas dadas as circunstâncias... :P

video
[música: paris, je t'aime - elisabeth anaïs]

Estava frio, mas isso não impedia as pessoas de acorrerem às lojas como loucas. As Galerias estavam horrivelmente cheias, não deu para ver grande coisa nem para comprar muito (mas isso até era mais pelos preços que por outra coisa...), o que não me impediu de fazer uns disparatezinhos com a Justina ;)

[mamã, quero este frigorífico brit-pop!]

E como terminei a minha primeira-última* tarde em Paris? Com um crepe, de braço dado com a Justina, a passear pelas ruas frias do centro da cidade. Soube-me tão bem. :]


*sim, porque no segundo semestre é que vou ter a última-última...

Opiniões?!

Ok. Há quem ache que eu lembro a Reese Witherspoon.




I wish!!! desde que não fosse loira... lol


quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Dans Paris.


Enquanto tentava deixar sair a pressão que acumulei nos últimos dias, acabei por tropeçar num dos melhores filmes que vi nos últimos tempos. Nota máxima para a fotografia...




[só posso mesmo agradecer-te, Simão. as tuas dicas de cinema têm sido preciosas...]

C'est fini.

Acabou-se. Fiz 5 exames, passei em 4 e fui estupidamente chumbada num - sim, sim, o meu primeiro chumbo, que ainda por cima foi injusto. Saldo final? 13 a urbanismo, 13 a fundamentais, 15 a penal geral, 17 a penal especial. E... mais surpreendente do que isto, consegui andar 4 dias seguidos em saltos altos!!! :P

Agora vou descansar, fazer as últimas compras de Natal e preparar tudo para regressar a casa (sabe tão bem...) *

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

E entretanto...



... está a nevar. ESTÁ A NEVAR! Meu Deus, está a nevar!!!


[ok, é pouquinho. mas ainda assim...

ESTÁ A NEVAR!!!]



Réussite.



Passei a urbanismo! :]


Tive 13. Já só faltam 4 orais...



domingo, 16 de dezembro de 2007

22.

Aniversário em Paris. Comecei por imaginar algo em grande, mas depois, graças ao meu fantástico calendário de exames e a um certo estado de espírito mais "caseiro", desisti da ideia de fazer festa. Claro está, os meus amigos mais malucos impediram-me de ir para a frente com essa decisão. Sim, só podia estar a referir-me à Linda, à Justina, ao Simão e à Mariana. E então... como passei o meu dia de anos?

[momento silly com a minha finlandesa preferida.]

De manhã, tive a visita inesperada da Linda, que vinha acompanhada de um ramo de flores [é tão bom receber flores... e ainda melhor quando vêm ao lado de um sorriso sincero!] Tinha decidido passar o dia em casa a estudar, mas ela sentou-se na minha cama e disse que não saía de lá enquanto eu não saísse com ela. Ok, certo. Não me custa nada trocar o estudo por um passeio (no máximo, pesa na consciência...). Então, fomos almoçar a Chinatown. O critério de escolha de restaurante foi: "o mais barato e com menos classe". Não faltaram motivos para rir durante a refeição: desde a decoração absolutamente kitsch da sala até aos bulldogs gordos e encasacados do empregado, passando pelos ruídos estranhos que os chineses do lado estavam a fazer a comer... Depois ainda andámos a passear pelo bairro, cheirando chás e apreciando a variedade das montras. Chinatown é sempre um mundo a explorar!

À noite, a escolha foi do Simão: um restaurante indiano em La Chapelle, com preços reduzidos e quantidades astronómicas de comida - de boa comida... só mesmo ele para achar estas coisas. O jantar foi muito animado, como sempre, e terminou da melhor maneira possível: nada como uma pilha de pastéis de nata com uma velinha em cima para colmatar a falta de bolo de anos!

[foto típica de restaurante... da esquerda para a direita: mariana, linda, justina, eu, simão.]

[o meu "bolo de anos", obra da arquitecta mariana!]

Depois de jantar, fomos para o Ne Nous Fachons Pas, onde demos continuidade à série de disparates que começámos no restaurante. O barman até foi querido e ofereceu rodadas de feliz aniversário! ;) Estávamos lá quando passou a meia-noite e deixou, oficialmente, de ser o meu dia de anos. Contudo, não deixei de ser a "reine de paris" e até pude conferir títulos honoríficos aos meus companheiros: a Linda era a "marquise de pigalle" (aqui era pela localização do bar, e não pelas coisas associadas ao bairro!), a justina era a "comtesse de montmartre", a mariana era a "baronne du butte-aux-cailles" e o simão ficou com o cargo de "mousquetaire".

[la reine de paris et la marquise de pigalle.]

[aqui começa a série de fotos parvas. voilà la photo ado. sim, sim, adolescente.]

[foto kasper - esta é um bocado private joke, mas, para não ficarem perdidos, estamos todas a fazer uma expressão vazia e parva. nada que não pudessem constatar sozinhos... ihih]

[santé!]

[os bisous que nunca me faltam quando estou com estas duas... :D]

[neste bar até dançamos sentados... mariana e simão no seu melhor, os portugueses mais fixes de paris!]

[sei que a foto não está nada de jeito, mas ai, gosto tanto dela!]

Dali, seguimos para uma festa em casa de uns checos que eram da faculdade da Mariana, mas os acontecimentos, a partir daqui, não foram tão simpáticos. Comecei a ficar cheia de dores de cabeça, tive de ir embora, piorei, ia sendo assaltada no Noctilien. Inesperadamente, cheguei a casa quase de manhã, sã e salva, com a minha carteira e máquina fotográfica.

Antes de voltar a mergulhar no estudo e a desaparecer do mapa, queria agradecer todas as mensagens, telefonemas, cartas, postais, prendinhas e palavras carinhosas que me chegaram de Portugal, EUA e Alemanha. Obrigada aos meus amigos e família, que souberam estar tão presentes como sempre, apesar da distância... são vocês que fazem cada dia valer a pena.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Mysteries.

Para a Anita, que fez anos no dia 5, e para o Mário, que faz anos hoje - os meus primos adorados, que trago sempre comigo apesar da distância; para o Ed, que precisa de ser um bocadinho herói nos próximos dias; e... bem, para quem precisar de força.



God knows how I adore life
When the wind turns on the shores lies another day
I cannot ask for more
And when the time bell blows my heart and I have scored a better day
Well nobody made this war of mine

And the moments that I enjoy
A place of love and mystery
I'll be there anytime

Oh mysteries of love where war is no more
I'll be there anytime

And when the time bell blows my heart and I have scored a better day
Well nobody made this war of mine

And the moments that I enjoy
A place of love and mystery
I'll be there anytime

Mysteries of love where war is no more
I'll be there anytime


[Beth Gibbons & Rustin Man - Mysteries.]

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

( )



- Encontrei um boneco morto na rua.

- Um boneco morto?!

- Sim. Perdeu-se da pessoa a quem pertencia, está morto.






[aperto-o contra o meu coração.]

10 jours.

10 dias para o início dos exames, 15 dias para ir para Portugal. Esta foi uma semana difícil, doente, sem grande capacidade de estudo, mas com grandes coisas boas. A esperança, a amizade, a capacidade de sentir "Natal" nalguns sorrisos, nalgumas mãos, nalgumas palavras vindas de perto ou de longe, a sensação de "estar quase em casa", as saudades que me demonstram carinho, os filmes que me marcam e me fazem voar, fotografias que não revisitava há demasiado tempo, um poema...

... Paris a chuviscar e o meu rosto, gelado, voltado para o céu. Estou grata.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Natal?


Hoje comprei um pinheirinho de Natal e enfeitei-o com papel de alumínio. Não me sinto nada natalícia, aqui, mas achei que isto me ia ajudar... Infelizmente, não consigo encontrar nenhum calendário do Advento que se aproveite! Acham normal que os mais frequentes sejam dos piratas das caraíbas?! I mean... o que é que uma coisa tem a ver com a outra?! E porque é que o único aceitável que eu achei tinha um pai natal feioso e custava 5€?! Bolas... parece que é quase impossível sentir-me natalícia em Paris. Não há luzes, não há lareira, não há aquele burburinho de escolher e comprar prendas com a minha família, não nada! Ergh. Ainda bem que chego a Portugal dois ou três dias antes do Natal... vou dar a mim mesma um Advento hiper-concentrado, ao pé da minha família e amigos de sempre, com o carinho e boa disposição habituais. Preciso disso...

sábado, 1 de dezembro de 2007

16 jours.

Já tenho as datas todas! O exame de Direito Penal ficou para dia 19, juntamente com o de Penal Especial. Podia ser pior... ao menos o contexto é o mesmo. Também já tenho os sapatinhos para o tango (e para as orais), as calcinhas vincadas e uma nova certeza: o comércio lisboeta não é assim tão caótico quanto eu pensava; as compras de natal em Portugal não são tão sufocantes como eu as julgava. Não. Nada disso. Em Paris, é tudo pior. Muuuuuuuuuuuito pior. :|

Faltam 16 dias para começar as orais... e, melhor notícia, faltam 21 dias para chegar a casa. Agora, já não vai custar nada. :]